Notícias


Novembro Laranja

01/11/2019 Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido


Novembro é o mês dedicado a Campanha Nacional de Alerta ao Zumbido, uma campanha que visa a esclarecer a população para as causas, prevenção e tratamentos disponíveis, além de conscientizar e motivar profissionais da área a abraçarem a causa.


Sabe-se que que o zumbido é uma das sensações mais incômodas relatadas por pacientes ao redor do mundo. Essa condição pode levar a pessoa a experimentar sensação de desconforto, frustração e, em casos mais severos, até mesmo incapacitação.


Segundo a OMS, 278 milhões de pessoas no mundo tem zumbido. No Brasil, são em torno de 28 milhões de pessoas sofrendo desassistidas.


O que mais chama a atenção é que esses números vem aumentando. Daí a importância de falarmos com seriedade sobre zumbido.


A seguir, vamos compartilhar um pouco do que sabemos sobre o zumbido.


Primeiramente, o zumbido não é uma doença e, sim, um sintoma. Em 90% dos casos, está ligado a algum tipo de perda auditiva. É importante conhecermos a causa para tratarmos corretamente o zumbido.


Para entendermos melhor, o cérebro está acostumado a receber estimulação sonora em todas as frequências. Quando essa estimulação sonora para de chegar corretamente, provoca uma agitação neuronal, causando o incômodo zumbido.


O zumbido pode ter várias causas indiretas como doenças metabólicas, diabetes, hipo ou hipertireoidismo, pressão alta, distúrbios de articulação da ATM (articulação têmporo-mandibular), comuns em casos de bruxismo, problemas de coluna, tumores no ouvido, Doença de Meniérie e degeneração natural das células do ouvido (perda auditiva).


Os profissionais precisam estar preparados, especialmente os médicos otorrinos, os primeiros a ser procurados, para diagnosticar, orientar e, principalmente, acolher esse paciente, já que ele muitas vezes chega ao consultório desesperado e descrente, pois já ouviu que não há o que fazer.


O diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para vencer o problema e é preciso uma ação multidisciplinar, envolvendo otorrino, fonoaudiólogo e, muitas vezes, psicólogo. Por se tratar de algo que afeta sobremaneira o emocional dos pacientes, é importante oferecer suporte e informações.


A campanha também promove a prevenção, devido ao aumento do número de casos de zumbido. Entre as causas mais frequentes de percepção precoce do zumbido estão o uso inadequado de fones de ouvido e exposição a ruído de alta intensidade sem proteção, que podem levar a perda auditiva acompanhada de zumbido.


Realizar exames de rotina, inclusive audiometria, ter hábitos de vida saudáveis, evitar exposição a ruído excessivo sem proteção estão entre as formas mais eficazes de prevenção do zumbido.


Se você, ou alguém que você conhece, tem zumbido, procure o quanto antes ajuda especializada.


E lembre-se sempre: Zumbido tem tratamento. Você não precisa se acostumar.